CONSULTE A LISTA DE RESUMOS APROVADOS!

Clique Aqui

CONSULTE A LISTA DE RESUMOS APROVADOS!

Clique Aqui

 

O EVENTO

O EDAO é o principal fórum de debates da operação do sistema de energia elétrico e suas instalações, em seus aspectos técnicos e de gestão.

O evento proporciona o intercâmbio de experiências e conhecimentos por meio da apresentação de trabalhos especialmente selecionados, painéis de debates, conferências, convidados e cursos de curta duração indicados pelo Comitê Técnico.

O XV EDAO está estruturado em três grandes temas:

  1. Processos técnico-operacionais e de gestão da operação;
  2. Aprovações e inovações nos recursos técnicos e tecnológicos;
  3. Desenvolvimentos aplicados aos profissionais e as equipes de operação.

O EVENTO

O EDAO é o principal fórum de debates da operação do sistema de energia elétrico e suas instalações, em seus aspectos técnicos e de gestão.

O evento proporciona o intercâmbio de experiências e conhecimentos por meio da apresentação de trabalhos especialmente selecionados, painéis de debates, conferências, convidados e cursos de curta duração indicados pelo Comitê Técnico.

O XV EDAO está estruturado em três grandes temas:

  1. Processos técnico-operacionais e de gestão da operação;
  2. Aprovações e inovações nos recursos técnicos e tecnológicos;
  3. Desenvolvimentos aplicados aos profissionais e as equipes de operação.
 

PROMOÇÃO

O Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica - CIGRÉ-Brasil - é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1971, que tem por objetivo promover o intercâmbio e desenvolvimento técnico, tecnológico, e da engenharia no Brasil, no campo da produção de energia elétrica, de sua transmissão em alta tensão e distribuição; abrangendo basicamente:

  • Aspectos elétricos e eletromecânicos da geração de energia elétrica;
  • Estudos, projetos, construção, operação e manutenção de linhas de transmissão, subestações e equipamentos ou sistemas associados;
  • Planejamento eletroenergético de sistemas, isolados ou interligados e sua operação e racionalização ou conservação de energia;
  • Telecomunicações, controle e proteção em sistemas elétricos;
  • Desenvolvimento e aplicação de materiais, equipamentos e sistemas eletro energéticos;
  • Desenvolvimento e aplicação de métodos e técnicas destinadas à análise e desenvolvimento dos sistemas elétricos de potência;
  • Aspectos de regulação e mercado de energia, geração distribuída, meio ambiente e tecnologia de informação

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é o órgão responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN) e pelo planejamento da operação dos sistemas isolados do país, sob a fiscalização e regulação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Instituído como uma pessoa jurídica de direito privado, sob a forma de associação civil sem fins lucrativos, o ONS foi criado em 26 de agosto de 1998, pela Lei nº 9.648, com as alterações introduzidas pela Lei nº 10.848/2004 e regulamentado pelo Decreto nº 5.081/2004.

Para o exercício de suas atribuições legais e o cumprimento de sua missão institucional, o ONS desenvolve uma série de estudos e ações exercidas sobre o sistema e seus agentes proprietários para gerenciar as diferentes fontes de energia e a rede de transmissão, de forma a garantir a segurança do suprimento contínuo em todo o país, com os objetivos de:

  • promover a otimização da operação do sistema eletroenergético, visando ao menor custo para o sistema, observados os padrões técnicos e os critérios de confiabilidade estabelecidos nos Procedimentos de Rede aprovados pela Aneel;
  • garantir que todos os agentes do setor elétrico tenham acesso à rede de transmissão de forma não discriminatória; e
  • contribuir, de acordo com a natureza de suas atividades, para que a expansão do SIN se faça ao menor custo e vise às melhores condições operacionais futuras.

PROMOÇÃO

O Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica - CIGRÉ-Brasil - é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1971, que tem por objetivo promover o intercâmbio e desenvolvimento técnico, tecnológico, e da engenharia no Brasil, no campo da produção de energia elétrica, de sua transmissão em alta tensão e distribuição; abrangendo basicamente:

  • Aspectos elétricos e eletromecânicos da geração de energia elétrica;
  • Estudos, projetos, construção, operação e manutenção de linhas de transmissão, subestações e equipamentos ou sistemas associados;
  • Planejamento eletroenergético de sistemas, isolados ou interligados e sua operação e racionalização ou conservação de energia;
  • Telecomunicações, controle e proteção em sistemas elétricos;
  • Desenvolvimento e aplicação de materiais, equipamentos e sistemas eletro energéticos;
  • Desenvolvimento e aplicação de métodos e técnicas destinadas à análise e desenvolvimento dos sistemas elétricos de potência;
  • Aspectos de regulação e mercado de energia, geração distribuída, meio ambiente e tecnologia de informação

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é o órgão responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN) e pelo planejamento da operação dos sistemas isolados do país, sob a fiscalização e regulação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Instituído como uma pessoa jurídica de direito privado, sob a forma de associação civil sem fins lucrativos, o ONS foi criado em 26 de agosto de 1998, pela Lei nº 9.648, com as alterações introduzidas pela Lei nº 10.848/2004 e regulamentado pelo Decreto nº 5.081/2004.

Para o exercício de suas atribuições legais e o cumprimento de sua missão institucional, o ONS desenvolve uma série de estudos e ações exercidas sobre o sistema e seus agentes proprietários para gerenciar as diferentes fontes de energia e a rede de transmissão, de forma a garantir a segurança do suprimento contínuo em todo o país, com os objetivos de:

  • promover a otimização da operação do sistema eletroenergético, visando ao menor custo para o sistema, observados os padrões técnicos e os critérios de confiabilidade estabelecidos nos Procedimentos de Rede aprovados pela Aneel;
  • garantir que todos os agentes do setor elétrico tenham acesso à rede de transmissão de forma não discriminatória; e
  • contribuir, de acordo com a natureza de suas atividades, para que a expansão do SIN se faça ao menor custo e vise às melhores condições operacionais futuras.

REALIZAÇÃO

A Copel – Companhia Paranaense de Energia – gera, transmite, distribui e comercializa energia elétrica. A empresa é uma das maiores companhias elétricas do Brasil. A posição de prestígio da Copel no setor elétrico brasileiro é o resultado de 66 anos de experiência e competência técnica nas áreas de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia.

A Copel abriu seu capital em abril de 1994 na Bolsa de Valores de São Paulo – B3 – e tornou-se, em julho de 1997, a primeira empresa do setor elétrico brasileiro listada na Bolsa de Valores de Nova York. Sua marca também está presente, desde junho de 2002, na Europa, com seu ingresso no Latibex – o braço latinoamericano da Bolsa de Valores de Madri. Em maio de 2008, a Copel aderiu ao nível 1 de Governança Corporativa da B3.

Atualmente, a Companhia atende diretamente a 4,7 milhões de unidades consumidoras em 395 municípios e 1.113 localidades (distritos, vilas e povoados). A Copel possui 46 usinas próprias (20 hidrelétricas, 1 térmica e 25 eólicas), opera 1 usina hidrelétrica em regime de cotas e tem participação em outros 11 empreendimentos de geração de energia (1 térmica, 6 hidrelétricas e 4 parques eólicos) em operação, totalizando uma capacidade instalada de 6.400 MW ajustados a participação da Copel.

Além disso, estão em construção um parque eólico e uma usina hidrelétrica. Para transmitir e distribuir a energia gerada, a Companhia conta com 7.735 km de linhas de transmissão e 200.263 km de linhas de distribuição, sendo a terceira maior rede de distribuição do Brasil.

REALIZAÇÃO

A Copel – Companhia Paranaense de Energia – gera, transmite, distribui e comercializa energia elétrica. A empresa é uma das maiores companhias elétricas do Brasil. A posição de prestígio da Copel no setor elétrico brasileiro é o resultado de 66 anos de experiência e competência técnica nas áreas de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia.

A Copel abriu seu capital em abril de 1994 na Bolsa de Valores de São Paulo – B3 – e tornou-se, em julho de 1997, a primeira empresa do setor elétrico brasileiro listada na Bolsa de Valores de Nova York. Sua marca também está presente, desde junho de 2002, na Europa, com seu ingresso no Latibex – o braço latinoamericano da Bolsa de Valores de Madri. Em maio de 2008, a Copel aderiu ao nível 1 de Governança Corporativa da B3.

Atualmente, a Companhia atende diretamente a 4,7 milhões de unidades consumidoras em 395 municípios e 1.113 localidades (distritos, vilas e povoados). A Copel possui 46 usinas próprias (20 hidrelétricas, 1 térmica e 25 eólicas), opera 1 usina hidrelétrica em regime de cotas e tem participação em outros 11 empreendimentos de geração de energia (1 térmica, 6 hidrelétricas e 4 parques eólicos) em operação, totalizando uma capacidade instalada de 6.400 MW ajustados a participação da Copel.

Além disso, estão em construção um parque eólico e uma usina hidrelétrica. Para transmitir e distribuir a energia gerada, a Companhia conta com 7.735 km de linhas de transmissão e 200.263 km de linhas de distribuição, sendo a terceira maior rede de distribuição do Brasil.

SECRETARIA EXECUTIVA