Temas Prioritários para o XVII EDAO

Tema A: Processos técnico-operacionais e de gestão da operação

  • Indicadores de operação e benchmarking
  • Experiências para compatibilização da segurança operativa com a segurança laboral
  • Práticas de gestão da operação considerando a disponibilidade dos equipamentos, os requisitos da sociedade, a segurança elétrica e a confiabilidade do sistema elétrico
  • Planos ou práticas para mitigação e recuperação de instalações e do sistema elétrico em face de condições climáticas ou acidentes naturais
  • Processos de práticas na Gestão de Ativos do sistema elétrico
  • Gerenciamento de riscos na Gestão de Ativos e na operação do sistema elétrico
  • Experiências no contingenciamento de centros de operação, considerando a manutenção do desempenho na operação contingenciada e a manutenção das atribuições e o negócio da empresa
  • Compatibilização dos aspectos técnicos e comerciais nas salas de controle, considerando os sinais e a responsabilização do profissional e jurídica
  • Gestão de intervenções, compatibilizando a integração dos novos equipamentos, os requisitos dos procedimentos de rede, a segurança da operação, a manutenção dos ativos e os interesses empresariais
  • Práticas e resultados da participação das equipes de operação na especificação e no feedback dos projetos de supervisão e controle para instalações e sistemas elétricos
  • Práticas e resultados da participação das equipes de operação nos comissionamentos de equipamentos e instalações
  • Práticas e resultados da participação das equipes de operação nas fases de implantação e melhorias de empreendimentos
  • Integração de responsabilidades entre centros de controle de TSO, DSO e geração distribuída.

Tema B: Aplicações e Inovações nos recursos técnicos e tecnológicos

  • Aplicação de técnicas e tecnologias no aprimoramento do tratamento de alarmes e melhoria do desempenho em sua utilização
  • Filosofias e/ou diretrizes no monitoramento de equipamentos e de redes de comunicação de dados usados em automação, considerando interação entre dispositivos de diferentes fabricantes
  • Segurança cibernética nas instalações, centros de operação e no controle dos sistemas elétricos
  • Segurança cibernética associado a indústria 4.0
  • Centros de operação de segurança cibernética versus centros de operação do sistema: atribuições e fronteiras
  • Garantia da segurança em face do grande volume de dados/informações, da necessidade de sua disseminação e o uso na operação das instalações e do sistema elétrico
  • Melhores práticas da teleassistência e controle de instalações elétricas
  • Experiências no dimensionamento dos quadros de pessoal de centros de operação considerando a observabilidade, consciência situacional e as atividades operativas necessárias
  • Requisitos empresariais de teleassistência e de qualidade dos recursos de supervisão, controle e comando e práticas na implantação e operação
  • Aplicações ou inovações para o monitoramento de instalações e equipamentos
  • Desenvolvimento e aplicações de ferramentas de apoio à decisão em tempo real
  • Sistemas de mensageria e automação de comandos entre os centros de controle dos agentes e do ONS
  • Processos autônomos utilizados nas atividades de Tempo Real (TR)
  • Utilização de inteligência artificial e indústria 4.0 nas salas de controle
  • Experiências com modernização de instalações e equipamentos – impacto na operação
  • Aperfeiçoamento dos mecanismos de segurança para a operação elétrica do sistema interligado
  • Desenvolvimento de ferramentas ou técnicas para o tratamento de grandes quantidades dados/informações e sua utilização na operação
  • Impacto da indústria 4.0 na operação dos sistemas elétricos - aplicações de técnicas de inteligência artificial, automatização de processos, etc.
  • Utilização de dados de medições sincrofasoriais em centros de operação do Sistema
  • Integração de informações de PMUs, RDP e de monitoramento para contribuir com o aumento da consciência situacional do operador
  • Monitoramento do estado da rede de sincronização temporal nas subestações.

Tema C: Desenvolvimentos aplicados aos profissionais e às equipes de operação

  • Desenvolvimento e aplicações de técnicas para seleção, capacitação e gestão das equipes de operação, considerando as mudanças no perfil profissional, os aspectos cognitivos, a formação da consciência situacional e outros fatores que impactam o desempenho das equipes de operação
  • Práticas na preparação das equipes de operação, considerando suas responsabilidades para o desempenho empresarial, os sinais regulatórios e seus impactos, bem como a segurança operativa para as instalações e o sistema elétrico
  • Práticas na utilização de engenheiros em salas de controle
  • Consciência situacional aplicada nas salas de controle
  • Avaliação de aspectos ambientais e psicossociais presentes nos centros de operação, métodos de detecção e tratamento de anormalidades.
  • Práticas de tratamento do comportamento humano na operação
  • Práticas de tratamento da saúde ocupacional do operador de centro de operação
  • Estruturação e dimensionamento das equipes de pré, pós, normatização, estudos elétricos
  • Lições e práticas durante o período de isolamento social.

Temas Prioritários para o XVII EDAO

Tema A: Processos técnico-operacionais e de gestão da operação

  • Indicadores de operação e benchmarking
  • Experiências para compatibilização da segurança operativa com a segurança laboral
  • Práticas de gestão da operação considerando a disponibilidade dos equipamentos, os requisitos da sociedade, a segurança elétrica e a confiabilidade do sistema elétrico
  • Planos ou práticas para mitigação e recuperação de instalações e do sistema elétrico em face de condições climáticas ou acidentes naturais
  • Processos de práticas na Gestão de Ativos do sistema elétrico
  • Gerenciamento de riscos na Gestão de Ativos e na operação do sistema elétrico
  • Experiências no contingenciamento de centros de operação, considerando a manutenção do desempenho na operação contingenciada e a manutenção das atribuições e o negócio da empresa
  • Compatibilização dos aspectos técnicos e comerciais nas salas de controle, considerando os sinais e a responsabilização do profissional e jurídica
  • Gestão de intervenções, compatibilizando a integração dos novos equipamentos, os requisitos dos procedimentos de rede, a segurança da operação, a manutenção dos ativos e os interesses empresariais
  • Práticas e resultados da participação das equipes de operação na especificação e no feedback dos projetos de supervisão e controle para instalações e sistemas elétricos
  • Práticas e resultados da participação das equipes de operação nos comissionamentos de equipamentos e instalações
  • Práticas e resultados da participação das equipes de operação nas fases de implantação e melhorias de empreendimentos
  • Integração de responsabilidades entre centros de controle de TSO, DSO e geração distribuída.

Tema B: Aplicações e Inovações nos recursos técnicos e tecnológicos

  • Aplicação de técnicas e tecnologias no aprimoramento do tratamento de alarmes e melhoria do desempenho em sua utilização
  • Filosofias e/ou diretrizes no monitoramento de equipamentos e de redes de comunicação de dados usados em automação, considerando interação entre dispositivos de diferentes fabricantes
  • Segurança cibernética nas instalações, centros de operação e no controle dos sistemas elétricos
  • Segurança cibernética associado a indústria 4.0
  • Centros de operação de segurança cibernética versus centros de operação do sistema: atribuições e fronteiras
  • Garantia da segurança em face do grande volume de dados/informações, da necessidade de sua disseminação e o uso na operação das instalações e do sistema elétrico
  • Melhores práticas da teleassistência e controle de instalações elétricas
  • Experiências no dimensionamento dos quadros de pessoal de centros de operação considerando a observabilidade, consciência situacional e as atividades operativas necessárias
  • Requisitos empresariais de teleassistência e de qualidade dos recursos de supervisão, controle e comando e práticas na implantação e operação
  • Aplicações ou inovações para o monitoramento de instalações e equipamentos
  • Desenvolvimento e aplicações de ferramentas de apoio à decisão em tempo real
  • Sistemas de mensageria e automação de comandos entre os centros de controle dos agentes e do ONS
  • Processos autônomos utilizados nas atividades de Tempo Real (TR)
  • Utilização de inteligência artificial e indústria 4.0 nas salas de controle
  • Experiências com modernização de instalações e equipamentos – impacto na operação
  • Aperfeiçoamento dos mecanismos de segurança para a operação elétrica do sistema interligado
  • Desenvolvimento de ferramentas ou técnicas para o tratamento de grandes quantidades dados/informações e sua utilização na operação
  • Impacto da indústria 4.0 na operação dos sistemas elétricos - aplicações de técnicas de inteligência artificial, automatização de processos, etc.
  • Utilização de dados de medições sincrofasoriais em centros de operação do Sistema
  • Integração de informações de PMUs, RDP e de monitoramento para contribuir com o aumento da consciência situacional do operador
  • Monitoramento do estado da rede de sincronização temporal nas subestações.

Tema C: Desenvolvimentos aplicados aos profissionais e às equipes de operação

  • Desenvolvimento e aplicações de técnicas para seleção, capacitação e gestão das equipes de operação, considerando as mudanças no perfil profissional, os aspectos cognitivos, a formação da consciência situacional e outros fatores que impactam o desempenho das equipes de operação
  • Práticas na preparação das equipes de operação, considerando suas responsabilidades para o desempenho empresarial, os sinais regulatórios e seus impactos, bem como a segurança operativa para as instalações e o sistema elétrico
  • Práticas na utilização de engenheiros em salas de controle
  • Consciência situacional aplicada nas salas de controle
  • Avaliação de aspectos ambientais e psicossociais presentes nos centros de operação, métodos de detecção e tratamento de anormalidades.
  • Práticas de tratamento do comportamento humano na operação
  • Práticas de tratamento da saúde ocupacional do operador de centro de operação
  • Estruturação e dimensionamento das equipes de pré, pós, normatização, estudos elétricos
  • Lições e práticas durante o período de isolamento social.